domingo, 14 de março de 2010

Vagas especiais: o fetiche de muitos motoristas


Pegando como gancho uma reportagem do Fantástico, que tratou do desrespeito às vagas especiais, a minha conclusão se confirmou: as pessoas param nas vagas especiais para deficientes e idosos porque sentem...digamos...um "fetiche" em estacionar ali, talvez por causa da facilidade que elas oferecem, já que, na maioria dos casos, as vagas se localizam próximo à entrada de um local, o que facilita a vida de qualquer um.

Mas tais pessoas que param nessas vagas nunca tiveram a consciência de uma coisa e que pode ser resumida em uma frase (que eu já citei por aqui): "A VAGA ESPECIAL NÃO É UM PRIVILÉGIO, É UMA NECESSIDADE DOS DEFICIENTES, IDOSOS E PESSOAS COM MOBILIDADE REDUZIDA".

No caso de um cadeirante, estacionar em uma vaga especial é essencial, pois é preciso que haja mais espaço para que a pessoa e a cadeira de rodas sejam retiradas do veículo, e as vagas especiais oferecem mais espaço. Enquanto uma pessoa "normal" dá seus poucos passos para sair do carro e entrar no estabelecimento, um cadeirante precisa retirar a sua cadeira de rodas do carro, montá-la, fazer a transferência para a cadeira e, aí sim, trancar o carro e ir embora. E, na maioria esmagadora dos casos, o cadeirante precisa de auxílio na realização da tarefa.

É importante ressaltar que o uso das vagas especiais não se restringe apenas aos cadeirantes. Idosos ou pessoas que usam muletas, por exemplo, e que possuem dificuldade de locomoção, também possuem direito de usar a vaga.

Recentemente tivemos, ao meu ver, um avanço neste aspecto. Agora só tem direito de estacionar nas vagas aqueles que se cadastrarem no Departamento de Trânsito e emitirem um certificado comprovando que naquele veículo é transportado um deficiente, um idoso ou uma pessoa com mobilidade reduzida. Quem estacionar nas vagas especiais e não tiver o certificado - mesmo que seja uma pessoa que tem direito à elas - será multado e perderá alguns pontos na carteira. O ponto negativo dessa lei é que a fiscalização não acontece em estacionamento de shoppings, local onde o número de ocorrências deste tipo é muito grande.

Então, caso você não possua nenhum tipo de deficiência e, mesmo assim, insistir em estacionar nas já citadas vagas, sugiro que você coloque a mão na consciência e reflita, porque enquanto você não encontra nenhum problema para sair do seu carro, uma outra pessoa com dificuldade pode estar passando por um perrengue porque teve que parar em uma vaga normal.

E lembre-se de uma coisa: estacionar na vaga sem o cadastro agora acarreta em multa e na perda de alguns pontos na carteira.

Pense nisso.



Foto: Google Imagens



sábado, 6 de março de 2010

Até que enfim!

Finalmente o primeiro post de 2010! Eu sei que já apontei milhares de motivos para justificar a minha demora em escrever por aqui, mas agora eu irei contar porque este espaço tem se encontrado abandonado nos últimos tempos.

Acontece que agora eu estou quase sem tempo. Estou fazendo estágio e, também, estou em processo de produção do meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), já que estou no último ano da faculdade de jornalismo. No TCC, falarei sobre deficiência e pelo andamento das coisas, o projeto vai ficar interessante.

Bom, espero que entendam o motivo da minha ausência e, sempre que possível, virei até aqui para trazer alguns conteúdos e, também, para trocar algumas idéias com vocês.

Abraços.