sábado, 27 de setembro de 2008

Só as mães são felizes

Você nunca sonhou
Ser currada por animais
Nem transou com cadáveres?
Nunca traiu teu melhor amigo
Nem quis comer a tua mãe?
(Cazuza/Frejat- Só as mães são felizes)

Esta música lançada por Cazuza em 1985 - quando já seguia carreira solo - feita em parceria com seu amigo Roberto Frejat, é uma das minhas preferidas do cantor. Talvez ela me encante por não ser de fácil entendimento, ou seja, o entendimento da mensagem passada pela música não é captada na primeira vez em que a ouvimos. Até mesmo o autor deste blog custou a entender a mensagem transmitida por ela.

Mas o fato é que, ao meu ver, o compositor diz que as mães são felizes pelo fato de não estarem expostas aos mesmos perigos que seus filhos (de levar uma vida ´´porra louca´´, usar drogas, etc) justamente pelo fato de serem mais maduras do que seus rebentos.

Além disso, com o passar do tempo, percebemos (alguns não percebem, mas isso não vem ao caso) que nossas mães são as melhores mulheres que aparecem em nossas vidas, que nos compreendem, nos aceitam e nos apoiam nas maiorias de nossas decisões. Certo que existem namoradas(os) e esposas(os) que amam muito seus maridos ou esposas, mas nada se compara ao amor materno. Muitas mães se preocupam até mesmo com o rumo que o casamento de seus filhos irá seguir.

E a conclusão deste post é a seguinte: mesmo com os diversos erros ou acertos que seus filhos cometam, a maioria das mães (não digo todas, pois sempre há exceções) direcionarão todo o seu amor à eles.

P.S.: Quero dedicar este post à minha mãe que, com a morte precoce do meu pai, foi minha mãe e meu pai ao mesmo tempo.

3 comentários:

jairo disse...

Temos histórias bem parecidas, heim, Rodrigo? O Cazuza foi um gênio e tinha uma relação com a mãe muito profunda. Gostei bastante da sua reflexão... Abraço

EVANDRO disse...

Muito bom, Rodrigo.
Belezura de post!!

Fábio disse...

E aí Rodrigo!

Andei sumido no seu blog, mas voltei para deixar um comentário...

As letras do Cazuza são muito boas e criativas, eu como poeta admiro os trocadilhos que ele usa e a forma com que ele escreve!!

Quanto ao post... Muito bonito o que vc escreveu sobre as mães, com palavras emocionantes e vindas do seu coração... Percebi que vc está cada vez mais se soltando no blog e descrevendo partes da história de sua vida e isso é ótimo!! Adorei o post!

Abraço